sábado, 1 de junho de 2013
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 382
Ano: 2008

     A história se passa entre 1939 e 1943, na Alemanha, em plena Segunda Guerra Mundial. Liesel Meminger, uma garotinha analfabeta, que logo quando criança tem que se separar da sua mãe de sangue e ir morar em outra casa com seu irmão, porém na viagem de trem que levaria a cidade alemã Molching, Liesel vê seu irmão, que viajava ao seu lado, cair morto e na próxima parada ele foi enterrado, o que a deixa tremendamente triste, mas é aí que começa a sua jornada, ela então, rouba o Manual do Coveiro  que viu caído na neve, sendo o primeiro dos próximos 4 anos seguintes.
     Então chegando a cidade de destino, Liesel descobre que seria entregue a uma família adotiva; ela fica relutante em soltar de sua mãe, mas uma hora acaba cedendo. Quando chega a casa dos seus novos pais, Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e e uma dona de casa rabugenta, que moram de uma forma estranha na Rua Himmel (ou Céu), já que a família era conturbada não havia explicação para morarem nessa rua, mas com a chegada da pequena e adorável Liesel, tudo se explica, mas é uma pena que ela não soubesse ler, porém foi a paixão pelos livros que salva ela daquela época de guerra da Alemanha nazista, onde só podia ler livros que Hitler deixava, se alguém fosse pego lendo outros livros, era punido já que estava indo contra as leis do seu ditador.
     A Alemanha estava sendo bombardeada constantemente, as pessoas tinham o temor de ser considerado um traidor ou mesmo de ser alvo de desconfianças por parte dos membros do partido nazista, a represália para que todos se alistassem a essa facção e a perseguição aos que se negavam. O fanatismo, o nacionalismo exagerado e a arrogância de muito deles. A perseguição aos judeus, a quem não fosse etnicamente alemão e aqueles que ajudavam essas pessoas. O sofrimento de famílias por perder seus parentes em guerras e bombardeios, pessoas mutiladas desses tempos. Tal coisas capazes de apavorar até mesmo a nossa singular narradora, Morte "os seres humanos me assombram".
     Hans era de todo amável com Liesel, algo que supria a falta da sua mãe e a imensa saudade do seu irmão, com quem tinha constantes pesadelos, Hans era prestativo e adorava a companhia de Liesel e Rudy, seu amigo, que ela constrói uma amizade solidário e uma cumplicidade em tudo que fazia, além de que ele era o namorado que nunca teve. Na casa dos Hubermann, a especialidade de Rosa, era sopa de ervilha aguada, algo que Liesel não gostava, porém não reclamava, já que estava ali de graça.
     Rosa passava roupa pra fora, para tentar ajudar a família nas despesas, porém ganhava muito pouco, algumas vezes Liesel ficava encarregada de entregar essas roupas nas casas das pessoas, um dia ela leva a roupa numa casa muito bonita, talvez a mais bonita da região, lá morava o prefeito da cidade, quando ela entra na casa, a esposa do prefeito, Ilsa Hermann, estava na biblioteca da casa, algo que encantou a menina, nas primeiras vezes que frequentou a casa, a esposa do prefeito nem percebia a presença da menina. 
     Liesel cresceu como uma criança normal, indo na escola, fazendo amizades, recebendo castigos pela malcriação, jogando futebol, criando amigos imaginários e admirando os livros, a ponto de roubá-los. Uma jovem menina que vê um absurdo nos ideias de Hitler, mas mantém a aparência de nazista, mas muito embora, durante grande parte da história, os Hubermann e Liesel abriguem secretamente um judeu em seu porão. 
     Depois de um tempo indo até a casa do prefeito entregar as roupas, Liesel começou a conversar com a dona e a admirar seus livros, a partir desse dia a esposa do prefeito lia os livros para Liesel, ela passava as tardes lá, esquecendo de tudo que estava acontecendo nas ruas a sua volta. Ela roubava os livros da biblioteca de Ilsa, com certo consentimento da proprietária. Isso se seguiu durante muito tempo.
     A Alemanha estava em meio a guerra, as pessoas eram acostumadas sempre que soava a sirene estava vindo mais um bombardeio das forças inimigas. Porém, naquele dia as sirenes não foram rápidas o suficiente e a Rua Himmel e toda a região foi bombardeada, uma chacina completa, porém Liesel, talvez, foi a única sobrevivente da Rua, ela estava no porão do número 33, escrevendo no seu diário, que Ilsa tinha lhe dado dias antes. Novamente órfã, Liesel foi adotada pelos Hermann, já que eles tinham perdido o filho anos antes na guerra. Liesel então cresce e vai morar em Sydney, onde constrói uma família e morre muito tempo depois, já em idade avançada.


Opinião pessoal: "Com toda a certeza um dos melhores livros que eu já li, não só porque o nazismo é algo de curiosidade para mim, mas por ser narrado pela Morte e nos mostrar como  a vontade de poder leva uma pessoa a fazer coisas assombrosas." 

* Dani Borgo *

2 comentários:

  1. O blog está lindo e ficando cada vez melhor ... Parabéns pelo ótimo trabalho !!! Amei , bjão

    ResponderExcluir



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Danielli Borgo e Daniele Heguedusch. Tecnologia do Blogger.

Tradutor

Populares

Seguidores

Siga por Email

Google+

Facebook

Twitter

Skoob: Dani Borgo

Blogs Parceiros

Anúncio