segunda-feira, 5 de agosto de 2013
Autor: John Green
Editora: WMF Martins Fontes
Paginas: 229
Ano: 2010

Olá pessoal, tudo certo? A resenha de hoje é do livro "Quem é você Alasca" ou titulo original "Looking for Alaska". Estava doida pra lê-lo, afinal é John Green, quase o compro em inglês, mas um dia sem querer o vi na livraria, e sem pensar duas vezes o adquiri. Depois de tanta procrastinação para terminar o livro, não por ser chato, mas sim por que eu não queria que ele acabasse (já passaram por isso?), por fim o terminei e vim aqui correndo fazer essa resenha! 

O livro é narrado em primeira pessoa por Miles Halter, um adolescente com uma mania estranha, colecionar ultimas palavras, essa mania começou quando Miles lia as biografia que seu pai tinha em casa e ficava fissurado pelas ultimas palavras. Uma delas foi de um poeta, François Rabelais, e suas ultimas palavras foram: "É por isso q estou indo embora. Para não ter de esperar a morte para procura o Grande Talvez". Isso inspirou Miles a dar uma mudada na sua vida chata e medíocre, então ele escolhe estudar em uma escola interna, Culver Creek, em busca do seu Grande Talvez. Mas ele nem imaginaria que lá, pela primeira vez na vida conseguiria fazer amigos, e conhecer uma garota que mudaria sua vida para sempre. 

Já no internato, Miles conhece seu colega de quarto, o Chip, mas que prefere ser chamado de Coronel, e no primeiro instante já cria um apelido para Miles, que seria Gordo, por ele se muito magro ( logica?). Gordo então começa a se socializar e acaba conhecendo Alasca, uma garota diferente de todas que ele já viu antes, impulsiva, sensual, inteligente, e com uma bipolaridade que ninguém consegue entender. 

Junto com Alasca, Gordo e os outros personagens tentam entender as ultimas palavras de Simón Bolívar: "Como sairei deste labirinto?", afinal o que seria esse labirinto que todos nós em algum momento estamos? E como saímos dele?

Opinião pessoal: "O livro é divido em duas partes, o antes e o depois, e conforme a leitura você fica naquela tensão tipo "meu Deus o que vai acontecer quando chegar O depois???" o que te faz não querer larga-lo. No começo você pensa que será um livro como qualquer outro com a historia de um adolescente americano: festas, bebidas, trotes, namoro, etc. Mas não, Green te surpreende com o inesperado, que faz você se emocionar e se envolver ainda mais com a historia e os sentimentos dos personagens. Um livro emocionante e engraçado ao mesmo tempo mas principalmente reflexivo, afinal como podemos escapar dos nossos labirintos? Podemos ser felizes mesmo dentro deles?"

Frases"Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam
sentadas talando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto.
Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia."
"Como assim?", perguntei.
"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia
conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que
nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos
o futuro para escapar do presente." Páginas 55 e 56

"O sofrimento" , ela disse. "São as coisas erradas que fazemos e as coisas erradas que fazem conosco. Essa é a questão. Bolívar estava falando sobre a dor, não sobre a vida e a morte. Como saímos deste labirinto de sofrimento?" Página 84.

"Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão." Página 91.

0 comentários:

Postar um comentário



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Danielli Borgo e Daniele Heguedusch. Tecnologia do Blogger.

Tradutor

Populares

Seguidores

Siga por Email

Google+

Facebook

Twitter

Skoob: Dani Borgo

Blogs Parceiros

Anúncio