segunda-feira, 17 de março de 2014
Autor: William Peter Blatty
Editora: Agir
Ano: 2013
Páginas: 333

     
     Então, eu li O Exorcista e sim é agoniante, não vou dizer que dá um tremendo medo, porque não senti isso, senti agonia em pensar que isso pode realmente acontecer, já que foi baseado em um fato real. 
     O livro é narrado em duas perspectivas: Chris MacNeil, mãe de Regan e do Padre Karras. 
     Regan tinha 12 anos e morava com a mãe (já que os pais haviam se separado), Sharon que trabalhava junto com Chris, e Willie e Karl que eram os empregados. Ela era uma menina adorável e simpática. Chris era uma atriz de sucesso.
      Um dia no porão de casa Chris encontrou o velho tabuleiro de Ouija, onde descobriu que Regan brincava com ele e que era responde pelo Capitão Howdy, Chris achou que aquilo não funcionava e Regan estava inventando aquele amigo imaginário. Porém, alguns dias depois Regan começou acordar a mãe no meio da noite, dizendo que sua cama estava chacoalhando e fazendo barulho, a partir desse momento, tudo começou a mudar.
     Chris achava que Regan estava querendo chamar a atenção e por isso inventava essas coisas, porém sua filha começou a mudar, não conversava mais e raramente estava alegre, respondia ao que era perguntado e passava a maior parte do dia no porão onde seus brinquedos ficavam, começou a ter maior dificuldade em matemática o que antes não era problema para ela. E Chris podia sentir que o clima estava diferente, sentia que algo havia mudado em sua casa.
     As vezes os moradores da casa da rua M, conseguiam ouvir batidas sincronizadas no quarto de Regan e quando iam abrir a porta as batidas cessavam imediatamente. Regan começou então a ter problemas de insônia, acessos de raiva, se recusava a comer e estava sempre em movimento, andando, pulando, batucando, conversando com amigos imaginários, o quarto de Regan sempre ficava gelado mesmo com o aquecedor ligado... Chris resolveu marcar uma consulta.
     Regan foi levada ao médico e várias hipóteses foram levantadas, como caso de histeria, síndromes e até mesmo tumor cerebral. Porém, tudo que foi indicado para Regan, não funcionava, todos os exames não conseguiam fazer os médicos chegarem a uma conclusão e com isso Regan só piorava.
     Chris organizou uma festa em sua casa, onde convidou pessoas muito distintas, padres, colegas de trabalho e Mary Jo Perrin, uma famosa psíquica. Regan foi apresentada a todos presentes e logo depois subiu para dormir, porém quase no final da festa ela apareceu de camisola e urinou no tapete, todos ficaram espantados. Ao final, Mary Jo instruiu que Chris tirasse o tabuleiro de Ouija de Regan. Alguns dias depois um livro chegou na casa de Chris e ela se espantou ao ver, era um livro sobre bruxaria, enviado por Mary Jo.
      Praticamente sem recursos um dos médicos disse a Chris se ela não queria tentar um exorcismo, não que houvesse um demônio, mas que a "segunda personalidade" de Regan poderia ir embora, Chris se assustou, porém cogitou a ideia. Foi aí que ela conheceu o Padre Karras.
     O Padre Karras, era também formado em psiquiatria, ele conhecia os relatórios médicos. Tinha perdido sua mãe havia poucos dias e se culpava por ter deixado ela sozinha. Karras então tentou de todas as formas identificar alguma doença em Regan, até que Chris lhe disse que estava exausta e que aquilo não era sua filha. O Padre então vai até o seu superior e pede que lhe permita fazer o exorcismo, o caso é aceito, porém ele será acompanhante e um padre mais experiente irá fazer o exorcismo, o Padre Lankeser Merrin um velho amigo daquele que habitava o corpo de Regan...


Apesar de praticamente todo mundo ter assistido ao filme, não irei dizer mais porque será spoiler. O livro é demais e eu recomendo para todo mundo. 

* Dani Borgo * 

0 comentários:

Postar um comentário



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Danielli Borgo e Daniele Heguedusch. Tecnologia do Blogger.

Tradutor

Populares

Seguidores

Siga por Email

Google+

Facebook

Twitter

Skoob: Dani Borgo

Blogs Parceiros

Anúncio